Sem açúcar e com afeto

Sabe aquele espumante Brut que lhe parece bastante “seco”? Pois ele pode conter até 15 gramas de açúcar por litro. E aquele Extra-Brut, que parece ainda mais seco? Pois é, pela legislação brasileira, ele também pode conter até 6 gramas de açúcar por litro… Seco mesmo só há um tipo de espumante – o Nature. Neste caso, a quantidade de açúcar no líquido é zero (ou muito perto disso).

Na sua origem francesa, o Champagne era um vinho borbulhante doce. Bem doce. O dulçor era adicionado ao líquido após a segunda fermentação, por meio de um xarope composto por vinho e açúcar – o licor de expedição (como é feito até hoje). Era assim que a nobreza e a burguesia europeia de séculos atrás apreciavam os vinhos espumantes.

Com o tempo, porém, o Champagne foi perdendo gradativamente a doçura, chegando aos Brut, Extra-Brut e Nature dos dias atuais. Hoje, em razão da crescente resistência ao açúcar entre os consumidores mais exigentes, os espumantes Nature conquistam cada vez mais espaço nas adegas. É uma tendência de consumo que precisa ser levada em conta pelas nossas vinícolas.

Este Pedrucci Nature, de Garibaldi, na Serra Gaúcha, é um belo exemplar desta nova tendência. Elaborado pelo Método Tradicional (segunda fermentação na garrafa), com dois anos de descanso sobre as leveduras mortas, já apresenta cor dourada clara, perlage intenso de bolhas finas, coroa viva, e aromas de padaria no nariz elegante. Na boca, é fresco, cremoso, vibrante, com um delicioso toque lácteo terminal. Um conjunto equilibrado, que pode acompanhar uma refeição da entrada à sobremesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *